top of page
fundos_capitulos_ppt_observatorio-01.png
HEADER JUNHO.jpg

Subsequently, the audience listened to a speech by Paulo Areosa Feio, Director of Plan APP, who is responsible for coordinating the preparation of the Portuguese Government's Voluntary National Report on the Sustainable Development Goals (SDGs) to be presented to the United Nations in July 2023. His address highlighted the current progress of the SDGs in Portugal but primarily focused on the urgent need for action. "We must recognize that everyone—government, society, the entire world—must do much more for this agenda to be fulfilled and to be transformative. Commitment is the key word for us to see progress in implementing the 2030 Agenda." Although Portugal is statistically well positioned in the implementation of the SDGs, "we should not be merely satisfied with these facts; we must aspire for and desire more," the speaker noted.

The goal of this first public event was to transition from theory to practice, with approximately 200 participants divided into four workshops for a moment of sharing, debating ideas, and a practical challenge: to frame the best SDGs within a specific company, chosen by each group. The workshops included:

  • Reporting, in partnership with PwC

  • Compliance, in partnership with Deloitte

  • Implementation of the SDG journey, in partnership with the UN Global Compact Network Portugal

  • Partnerships: How to create successful partnerships, with BCSD Portugal

At the end, a group from each workshop was chosen to discuss their findings, achieving the main goal of sharing ideas, best practices, and solutions for implementing the SDGs in the present.

The event continued with a roundtable discussion featuring leaders from large corporations and SMEs, including Carolina Coelho from IKEA's sustainability department; Juliana Oliveira, CEO of OLIMEC; and Rui Murteira from Ponte Redonda Paper Factory. The discussion centered on the future challenges of sustainability, moderated by Marta Bastos dos Santos, a board member of GRACE. Carolina Coelho's inclusion on the panel was due to IKEA's significant number of SMEs in its value chain, which it works closely with, maintaining good relationships and serving as an inspiration to other companies, given IKEA's well-established and structured sustainability policy.

The event concluded with a speech by Nuno Moreira da Cruz, Executive Director of the Center for Responsible Business & Leadership, who thanked the highly interested community present, admitting that this made him feel "the challenge and an increased responsibility, a responsibility I will take on, to help make all this possible." To conclude, he issued a challenge to the SMEs, which represent a large part of the Portuguese business fabric: "take your space. While large companies are required to implement the SDGs, SMEs still have room to do so and, with their strength, can indeed make a difference."

De seguida, a plateia ouviu o discurso de Paulo Areosa Feio, Diretor do Plan APP e responsável por coordenar a elaboração do Relatório Voluntário Nacional do Governo português sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, a apresentar às Nações Unidas, em julho de 2023. A sua intervenção mostrou quais os progressos dos ODS em Portugal, atualmente, mas, acima de tudo, focou-se na necessidade de agir. “Temos de reconhecer que todos, Governo, Sociedade, o mundo inteiro, tem de fazer muito mais para que esta Agenda seja cumprida e seja algo transformador. (…) Compromisso é a palavra-chave para que vejamos progressos na implementação da Agenda 2030”. Embora Portugal esteja estatisticamente bem posicionado na implementação dos ODS, “não devemos ficar só satisfeitos com estes factos, devemos querer e ambicionar mais”, refere o orador.

Como o objetivo deste primeiro evento aberto ao público foi passar da teoria à prática, os cerca de 200 participantes dividiram-se em quatro workshops num momento de partilha, debate de ideias e de um desafio prático: enquadrar os melhores ODS numa empresa em específico, à escolha de cada grupo. Estes foram os quatro workshops a decorrer:

  • Reporting, em parceria com a PwC

  • Compliance, em parceria com a Deloitte

  • Implementação da jornada dos ODS, em parceria com o UN Global Compact Network Portugal

  • Parcerias: como criar parcerias de sucesso, com o BCSD Portugal
     

No final, um grupo de cada workshop foi escolhido para debater as conclusões às quais chegaram, cumprindo com o objetivo principal de partilhar ideias, boas práticas e soluções para a implementação dos ODS no agora!
 

O evento prosseguiu com uma mesa-redonda, onde assistimos a uma conversa entre responsáveis de Grandes Empresas e de PME’s, nomeadamente com a intervenção de Carolina Coelho, do departamento de sustentabilidade do IKEA; Juliana Oliveira, CEO da OLIMEC e Rui Murteira, da Fábrica de Papel Ponte Redonda. O tema do debate foi sobre os desafios futuros da sustentabilidade e o painel contou com a moderação de Marta Bastos dos Santos, membro da direção do GRACE. A escolha da inclusão de Carolina Coelho, do departamento de Sustentabilidade do IKEA, na mesa-redonda, recaiu sobre o facto de a empresa ter muitas PME’s na sua cadeia de valor, com as quais trabalha de forma próxima e com as quais mantém um bom relacionamento, servindo como inspiração para outras empresas, uma vez que o IKEA tem uma política de sustentabilidade bem assente e estruturada.
 

O evento termina com o discurso de Nuno Moreira da Cruz, Diretor Executivo do Center for Responsible Business & Leadership, que agradeceu a toda a comunidade presente e extremamente interessada sobre o tema, o que, admite o também professor da CATÓLICA-LISBON, fez com que sentisse “o desafio e uma responsabilidade acrescida, e uma responsabilidade que irei assumir, de ajudar a que tudo isto seja possível”. Para terminar, lançou um desafio às PME’s - que representam uma grande parte do tecido empresarial português -: “ocupem o vosso espaço. As Grandes Empresas têm de implementar os ODS de forma obrigatória, mas a PME’s ainda podem ocupar o seu espaço e, pela sua força, podem mesmo fazer a diferença”.

 

 

Temos, precisamente, sete anos para mudar o mundo e conseguir atingir as metas que a Agenda 2023 propõe. Contamos com a ajuda de todos, porque ninguém fará este caminho sozinho! A CATÓLICA-LISBON está profundamente empenhada em ser um veículo condutor e impulsionador deste processo de mudança.

Leia também o Artigo da Renascença

Passar à ação na sustentabilidade, qual o caminho?  | 05 jun, 2023 • Filipa Pires de Almeida

DOWNLOAD THE DOCUMENT LAUNCHED AT THE EVENT HERE












 

bottom of page